A IMPORTÂNCIA DOS GRUPOS DE APOIO À ADOÇÃO

O processo de adoção é permeado de inseguranças e medos de um futuro desconhecido e ainda incerto. Em paralelo, está presente a alegria da realização de um sonho e de um dos acontecimentos mais aguardados da vida, a chegada de um filho.

Esse momento muitas vezes é marcado pelo sofrimento e angústia dos potenciais pais, que podem carregar em em si o sentimento de tristeza por não terem podido gerar um filho biológico. Da mesma forma, a criança a ser adotada, pode ter experimentado a dor do abandono e desamparo dos pais biológicos desde muito cedo . Por isso, o processo de adoção é recheado de grandes desafios e expectativas, ao mesmo tempo que exige grande entrega emocional a uma nova e importante fase da vida.

Nesse cenário, é de grande valia um suporte ao casal ou pessoa adotante, que não raras as vezes estão imersos em convicções sociais carregadas de preconceitos e medos, que causam ainda mais angustia a esses futuros pais.

São nos grupos de poio, ou nos grupos terapêuticos que os adotantes conseguem encontrar apoio de outras pessoas que tenham os mesmos interesses e que estão vivenciando as mesmas situações e dúvidas e, por isso, conseguem estabelecer um vínculo importante para o enfrentamento e esclarecimento de questões que permeiam o mundo da adoção.

No trabalho em grupo existe a possibilidade de aconselhamento e de orientação sobre os direitos e deveres aos membros, além de proporcionar um espaço de discussões para se pensar, refletir e entender melhor o processo de adoção e pós adoção.

São nesses grupos, portanto, que ocorre o fortalecimento emocional dos indivíduos, que com o auxílio do terapeuta, outros profissionais, dos componentes do grupo e do próprio paciente, conseguem ressignificar muitas ideias pré-estabelecidas. Claro que nem todas as pessoas se sentem confortáveis em dividir suas experiências com o grupo, e nesse caso é importante fazer uma psicoterapia para se fortalecer e se conhecer melhor.
Frequentemente os pretendentes a adoção apresentam inúmeras fantasias em relação ao futuro filho e muitas vezes o desejo dos pais é adotar uma criança recém-nascida e de pele branca, descartando, assim, a possibilidade de uma adoção tardia.

Porém, o grupo sendo uma célula orgânica e dinâmica, faz emergir novos saberes e promove grandes transformações, podemos até mesmo desmistificar questões como essa. Muitos adotantes reconsideram esses pré-requisitos e acabam abrindo um leque muito maior de possibilidade, mais compatível com o perfil da realidade da sociedade brasileira.

O grupo de apoio, portanto, ajuda a atenuar o sofrimento e a ansiedade da espera dos pretendentes a adoção e proporciona também um maior preparo para os futuros pais que irão receber uma criança ainda desconhecida.

E para você, qual foi a experiência de frequentar um grupo de apoio para o processo de adoção? Para se preparar melhor para adoção, assista o mini-curso Caminhos para uma adoção consciente => http://caminhosdaadocao.com.br/curso-online-2/

Com carinho,
Tatiany Schiavinato
Psicóloga
Atendimentos presenciais e online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *