ESTILO PARENTAL – QUE TIPO DE MÃE OU PAI VOCÊ É OU DESEJA SER?

 

Boa tarde, como você está ?

Quando nascemos estamos sujeitos a educação do meio em que estamos, se fazemos parte de um família, é natural, que o pai, a mãe, avós e aqueles mais próximos, queiram passar seus modos e valores, da forma que acreditam ser a correta.

A esses modelos que são apresentados em um conjunto de comportamentos, condutas, regras e normas, damos o nome de Estilo Parental, que irá depender a própria história de desenvolvimento dos pais, personalidade e suas relações conjugais.

São quatro os estilos parentais mais comuns, que definem a maneira com que as famílias lidam com as mais diversa situações:

Pais autoritários: são rígidos nas regras que estabelecem, esperam obediência absoluta da criança sem qualquer questionamento. São disciplinadores e usam de rigidez e punição.

Os filhos tendem ter baixa auto-estima, serem obedientes e com rendimento escolar mediano.

Pais permissivos: exercem pouco ou nenhum controlo sobre o comportamento dos seus filhos. As regras, quando existem, são confusas e há uma inversão de papéis: as crianças agem mais como os pais e os pais comportam-se como crianças. Os filhos de pais permissivos podem ser desobedientes, agressivos, irresponsáveis e inseguros. Em contrapartida podem ser crianças criativas, alegres e espontâneas, embora com baixa responsabilidade social e autonomia.

Pais negligentes: fazem exigências incoerentes, ignoram ou não orientam a criança, assim como também não reconhece as suas necessidades. Podem ser agressivos, desinteressados e distantes.

Os filhos geralmente apresentam baixas competências sociais, resultados escolares ruins e condutas inadequadas.

Pais participativos: são firmes, pacientes, amorosos e atentos as necessidades da criança. Costuma explicar as regras e as expectativas que têm face ao comportamento dos filhos. Este estilo parental determina, geralmente crianças com alta autoestima, autônomas, curiosas e criativas.

Um trabalho de orientação para pais é de extrema importância, quando constatado que o estilo de educar não tem surtido os efeitos desejados e há problemas de comportamento que acarretam em problemas emocionais.

Uma intervenção, através de um treinamento pode ser de grande benefício para as famílias e implica num melhor desenvolvimento de crianças, que por sua vez serão os pais de amanhã, atingindo inclusive outras gerações. Conseguiu identificar qual estilo você se enquadra ? Para se preparar melhor para adoção, assista o mini-curso Caminhos para uma adoção consciente => http://caminhosdaadocao.com.br/curso-online-2/

Com carinho,
Tatiany Schiavinato
Psicóloga
Atendimentos presenciais e online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *